sábado, 8 de agosto de 2009

hoje, nada, tudo

hoje não sei o que escrever. não sei o que pensar, não sei o que esperar.

é o novo.

é o nada.

é o tudo.






"Outros, outros e outros: um turbilhão que nos leva a um campo ermo, onde nos livramos do que se tornou inútil para nós, uma identidade que não faz mais sentido preservar nesse novo mundo. Nada nos falta nesse novo mundo: o coração segue batendo no peito, os pulmões continuam recebendo oxigênio, o nosso corpo continua a sentir os outros corpos. Não há como faltar amor a esse mundo: por estarmos destinados à relação, estamos destinados a amar."

___
Amauri Ferreira em "O anjo exterminador"