sábado, 1 de agosto de 2009

.: sempre :.

eu poderia falar de um livro muito bom que nunca li e citar seu autor, quiçá um trecho que talvez tenha ouvido alguém falar. eu poderia falar de uma banda muito boa que nunca ouvi, com muitos fãs e discos e shows, muitos deles realizados em países muito bonitos onde nunca estive, mas que talvez tenha visto em mapas por aí. eu poderia, ainda, falar de pessoas muito boas que nunca conheci, mas conheço muito bem porque já me contaram tudo sobre elas e o que viveram e que talvez tenham ido a shows daquela banda naquele país desenhado num mapa daquele livro que eu nunca li. e porque posso tudo isso, eu posso também falar de um filme muito bom que nunca assisti, mas que caiu aqui como um presente.

e como um presente eu dou.





* o filme que nunca vi chama-se a dupla vida de veronique, de krzysztof kieslowski
.
.
.