quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Subterfugiu

De repente ele chega quieto, como sempre faz, mas dessa vez é diferente, seu olhar não tem mais felicidade.
Com as mãos nos bolsos, cabeça levemente caída para frente, olha sobre os óculos para enxergar o caminho, que agora é escuro.
Parece que todo o seu corpo sabe que o dia vem chegando. A morte acontece de diversas formas. Se morre, sem se morrer e se morre sem se viver, outros vivem na morte. Ele não. Ele é diferente. Misterioso, quieto, centrado e a única coisa que o termina é querer algo diferente do que todos querem para ele.
Sem ele perceber, é observado, ele sorri sutilmente, passam alguns minutos e aquele sorriso continua, um tanto introspectivo, mas continua. O faz lembrar de algo que traz um pouco de brilho aos seus olhos castanhos.
Tem um rosto com traços marcantes, másculos, não é o mais bonito de todos, até se perde entre os mais belos, mas tem um charme único, é interessante observá-lo.
Sua boca, que tão pouco fala, agora fala menos ainda.
Continua caminhando com elegância, senta-se com elegância e tem presença, mas agora ela perdeu a luz.
Sua altivez dá lugar para a sutileza, que vai esvaindo, vai sentindo o fino fio do resto. Não do resto eterno, mas do resto escolhido. Aquele caminho acaba, é hora de andar nas pedras cristalinas e sobre pêssegos com gosto de romã.
A tristeza que está presente naquele rosto que tanto me prende não é uma tristeza dolorida, é uma tristeza que existe para ser deliciada. Não por maldade, mas por beleza.
Ao olhar para ele, sentado no lado esquerdo do banco, ouso dizer que jamais vi tristeza mais bela, mais singular e mais sofrida do que o desistir daquele rosto.
Um rosto que permanece na ligeira inconstância da inquietude. Um suar de mãos, de testa, de pés inconformados, de garganta seca e palavras difusas.

Imerso em seu sofrimento tão próprio juntou suas últimas forças para pôr-se de pé e partir. Uma ida sem volta, mas que lhe deixou na boca do doce gosto de uma iluminada satisfação. A satisfação da tarefa descumprida.

--
Ao DR minha admiração constante e meus agradecimentos sinceros, sempre.