segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Electrical Storm

Car alarm won't let ya back to sleep
You're kept awake dreaming someone else's dream
Coffee is cold, but it'll get you through
Compromise, that's nothing new to you.
Esqueça One, Stay ou With or Without. A melhor música desse fim de semana é Electrical Storm. Não sou músico, aliás, nem de Rock Band (um péssimo baterista). Tão menos sou fã de U2. Acho Bono pedante, tenho a impressão que ele não peida para não afetar a camada de ozônio, sem contar, essa história de megashows, dá impressão de impotência sexual, no caso em epígrafe, musical. Acho que esta é a minha I'm like a bird, embora, não tenho 1/1000 do talento de Nick Hornby para defendê-la.

Tudo começou num sábado quente que passava pelo Parque Dom Pedro com a visão a partir do São Vito e a convicção de que Sol e SP não têm muito a ver. São Paulo gosta do cinza, da garoa, o Sol a desfigura como o choro à maquiagem. Comecei a ouvir um CD que não lembro de ter montado, em São Bernardo, com Beatles e uma sequência absurda de grandes músicas (sim e não merece comentários, pois, Beatles, né!?) e Coldplay, chato, apenas Trouble me interessou. Quando começou U2, fui passando até chegar em Electrical Storm. Já estava perdido nos meus pensamentos com o clichê de Cinza+SP (referência que está um pouquinho depois do caput desse parágrafo).

Arrebatou, Repeat!

O fraseado de guitarra me fez a selecionar o repeat, a cada término, um novo repeat. Tratava-se ouvir uma música como se deve, cada nuance, som, separadamente e descobrir suas brincadeiras. Lembrou-me a vez que ouvi Dosed pela primeira vez. Aliás, acho The Edge parecido com Frusciante. Sim, a guitarra dessa música é bem boa.

O nome da música. Gosto de nomes fortes, sou capaz de comprar livros, filmes ou CD só pelo título. A última vez que fiz isso foi a compra do Eu receberia as piores noticias dos seus lindos lábios. Talvez, seja por isso que eu gosto de Smiths, mesmo as músicas não me agradando tanto, embora, seus nomes valham uma ouvida.

Contudo, faltava o vídeo, a melhor música do fim de semana tem que ter bom clipe. Nesse quesito a surpresa foi por demais boa. A direção do clipe é de Anton Corbjin, nada mais e nada menos que o cara de Control, que manja uma ou duas coisas de música. Lógico: preto e branco. Não lógico: O protagonista do clipe não é Bono.

Mesmo assim, não me tornei fã de U2. Quando eles vierem ao Morumbi, não tem a mínima chance, não serei a próxima Katilce. Aliás, não acredito em shows, ainda mais que mais uma vez perdi a chance de ver os meus heroes
: Sonic Youth.