quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Ser poeta...


Todas as profissões têm férias remuneradas...
Décimo terceiro...
Décimo quarto...
E por que eu?
Que nem ganho, pra escrever...
Eu, que deixo um pedaço de mim em cada verso...
Não consigo descansar?

Eu posso esconder todos os papéis e canetas...
Posso desligar o computador, a máquina de escrever...
Ainda sobrará sangue... fervilhando em meu pulso...
Mandando-me escrever...

Recuso-me a falar do natal e do ano novo:
Reservo-me no último direito - que acho que tenho.