domingo, 16 de maio de 2010

Precioso pedido

Cuidado com que tu pedes, nem sempre é o que se quer de fato.

Insano, mas, verdadeiro.

Julia pediu para Fernando que a iniciasse na prática do sexo anal.

Julia, 25, já tinha se entregado pra mais de de 10 rapagões e nutria por Fernando um sentimento novo e diferente de tudo que vivera até então. Queria que dar-lhe algo inédito, um presente, para selar de vez esse relacionamento que galopava feito uma mangalarga marchador. 

Fernando, 26, tirando as prostitutas, essa era a 3a a quem de fato realizara conjunções carnais. Pra ele, o que Julia já oferecia estava de bom tamanho, tanto que não olhava e nem desejava outra garota. Todavia, a sensação ter algo intocável, o animara e pediu, com certa vergonha. Sim, Fernando nunca tinha tido praticado atentado violento ao pudor, nem mesmo com as profissionais.

Julia, estava mais ou menos consciente da dor, comprou géis e estava treinando diariamente no banho. Primeiro com um dedo, agora já com dois. Dado esse avanço, como o pino do perú de Natal, era um sinal, ela já se considerava pronta.

Data marcada, depilações efetuadas, o que aconteceu foi uma sucessão de infortúnios. O nervosismo, imperícia e uma boa dose de azar...

Dilacerações em corpos cavernosos e a falta de controle naquilo que é mais rápido que a luz e o pensamento, fizeram dessa história uma mal sucedida empreitada rumo ao desconhecido.