terça-feira, 8 de junho de 2010

O mundo de Carol

Nunca gostei de jornais, tanto televisivos quando os de papel, e tampouco os jornais online.Um bom argumento: um dia li que é necessário dormir de 6 a 8 horas por dia (antes eram de 8 a 10, não?) e achei bom, posso dormir menos sem culpa. No outro dia li que para homens o mínimo são 5 horas, e para mulher 7. Fico cada vez mais confusas com como as informações mudam de um dia para outro, de uma fonte para outra. E afinal, café, carne de porco, ovo e chocolate, faz bem ou mal? Seria interessante se as matérias entrassem em um acordo, mas enquanto isso não acontece, não gosto de jornais.

Também não assisto novelas da globo. Devo ter acompanhado na vida umas três ou quatro.E nem me fale big brother ou comédias romanticas (argh!).
Já comentei meu gosto musical no último post, e além de músicas, gosto de ler, mas não "O segredo", "Código da Vinci" ou qualquer um do Paulo Coelho. Estou lendo Snoopy, mas não gosto de cachorros, nem de futebol e , apesar de
ser mulher, não me interessa falar sobre TPM, lingerie, ou batons.

Tudo isso me traz um grande problema,estou ficando uma pessoa cada vez mais dificíl de se conviver. As pessoas gostam de pessoas previsíveis, óbvias, e não que eu não seja coisa ou outra, mas não participo dos top 10 assuntos do dia-a-dia, e falar sobre como está frio acaba uma das únicas alternativas.


Há algum tempo, com a internet, comecei a escolher mais o que me interessa saber. Sabe sites sobre curiosidades, noticias bizarras? Leio todos os dias, dificilmente nasce um bebê de três cabeças, ou um morango com gosto de banana sem que eu saiba.
Ainda assim, esses dias fui num Stand up, e muitos dos temas não fazem parte da minha rotina. Ri menos por causa disso? Sim.
Mas só por isso devo começar a ver BBB e parecer menos chata, mais “conversável”? Não!
E digo mais, estou confortável aqui, cada dia mais velha, teimosa, por fora, ilhada, feliz.