quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

antes que o livro acabe


é que às vezes fico com certo medo das coisas que escrevo aqui devido ao efeito que uma frase mal (ou bem) interpretada pode causar na vida de outras pessoas. paciência. estou enrolando pra terminar de ler indignação, do philip roth. apesar de já imaginar o que acontece no final, quero prolongar um pouco este fim. a verdade é que já sei o final, da mesma forma que às vezes tomo decisões e insisto em coisas que sei muito bem (ou mal) como vão acabar.

aí me lembro desta frase. mais uma dentre tantas que martelam minha cabeça quando vou dormir.

"a forma terrível e incompreensível pela qual nossas escolhas mais banais, fortuitas e até cômicas conduzem a resultados tão desproporcionais"

ok, este é o trecho mais citado por aí e bem sei que não é o melhor, nem o mais original. talvez seja o mais óbvio. mas o que é a vida senão uma sucessão destes momentos óbvios repetidos e repetidos a cada dia?

"a forma terrível e incompreensível pela qual nossas escolhas mais banais, fortuitas e até cômicas conduzem a resultados tão desproporcionais"

.
.
.