domingo, 19 de dezembro de 2010

Não venham

Sou nascida e criada em Salvador e é com muita dor no coração que venho dizer a qualquer pessoa que deseja conhecer a cidade de todos os santos, encantos e axé: não venha.

Sem querer parecer pedante, nós temos potencial para ser uma das cidades mais bonitas do Brasil (do Rio de Janeiro ninguém ganha, hehehe). Além das belezas naturais (50km de praia), temos construções e bagagem história magníficas (fomos a cidade mais importante do país por 300 anos) e uma cultura particular e deliciosa. O que não temos? Todo o resto.

Quem vier a Salvador hoje não vai se deparar com um lindo mar azul, cultura verdejante e calorosas boas vindas. Vai dar de cara com uma cidade que, literalmente, fede, tem alta densidade de lixo no chão, sistema de transporte público caótico, violência crescente e trata o turista de maneira agressiva e predatória (é mais fácil ganhar na megasena do que ir a um ponto turístico e não ser incomodado por pelo menos uma criatura vestida de baiana, um falso guia e um pivete).

Por essas e outras, recomendo a todos que desejam vir a Salvador nessas férias que guardem seu sonho numa caixinha e esperem. Prometo dar notícias quando as coisas melhorarem. Até lá, dêem preferência a cidades que tenham prefeito, onde não seja normal e cotidiano as pessoas urinarem na rua, onde existam lixeiras públicas e coleta de lixo regular, onde os engarrafamentos não sejam tão intensos e a população saiba tratar o turista de maneira cordial e respeitosa. Por enquanto, não venham.