sábado, 28 de maio de 2011

Tire esse azedume do seu peito. Por 21 dias.

Tive sorte por esses meses, vou confessar. Sempre fico matutando uma ideia na cabeça, ela vai florescendo, divagando, percorrendo tudo o que há em mim. Quando menos, vira texto. Ainda bem que eu escrevo no final do mês.

Claro que esse não foi diferente. Mas, bom, vamos lá!

Descobri internet afora uma teoria de um cara chamado Maxwell Maltz (link) que diz o seguinte: se você repetir uma ação por 21 dias – ininterruptamente – ela vira um hábito. Ou seja, se você passar aquele creme antirrugas que sempre é deixado no fundinho do armário torcendo para ser lembrado por 21 dias seguidos, vai fazer parte da rotina. Vira um costume. Ou se resolver não comer doce, parar de roer unhas, sorrir pras pessoas na rua, fazer a dança da chuva ou os 5 ritos tibetanos diariamente, nessa seguida quantidade de dias, pronto. Faz parte de você.

Aí descobri uma galera de um movimento mundial muito peculiar, e legaaaaal! Eles tem a missão de ficar por 21 dias sem reclamar (o site é esse: http://www.acomplaintfreeworld.org/). Achei muito legal!

Resolvi tentar. E por 21 deu certo. E até hoje tem dado! (já faz uns 30 dias). Recomendo, de verdade. A gente reclama muito das coisas, da maior bobeira do mundo até a mais cabulosa delas. Mas reclama! Eu decidi não reclamar, nem pra ninguém, muito menos pra mim, de tudo o que se passa na minha vida.

Hoje cedo, andando pela rua, caí num buraco gigantesco. Gigantesco, to falando. Seria muito fácil, e cômodo, e estressante, e chato, e desanimador, sair reclamando por aí: “Que m*rda essa cidade! Deixam um buraco desse tamanho na rua, aí cai um, quebra a perna, e aí? Essa calçada é horrível, essa rua é esburacada, esse trânsito é impossível!!!”. Pronto. Uma reclamação gera outras mil, e vai só crescendo. E dali a pouco, sua vida inteira é só reclamação. Uó, né?

Bom, eu caí, e claro que machuquei meu joelho (que é a parte de mim que mais sofre com meus desastres e desequilíbrios, sem sombra de dúvidas). Mas olhei para minhas amigas, dei risada e disse “Super adrenalina! Até deu um friozinho na barriga!”. Pronto. Evitei uma ruga a mais na minha vida.

Vamos escolher os momentos certos pra reclamar. Você vai reclamar lá com o cara das Casas Bahia se ele entregar um vaso de violetas ao invés da geladeira duplex de aço escovado que você comprou pela internet. Você vai reclamar se um dia um babaca apertar seu bumbum na balada. Você vai reclamar se um dia alguém reclamar da vida com você, e vai mandar ele se mancar e ler esse texto aqui. Bobão.

Nessa teoria também diz que bastam apenas 3 dias de combinações erradas para derrubar esse hábito, então não deixe que os problemas que se prolongam estraguem sua rotina de bom humor. Não vou falar pra você fazer a Janaína (do BBB 11) e achar tudo lindo, mil maravilhas, tudo sorridente e na vibe ‘vamos construir um mundo melhor através do amor em nossos corações’. Mas vamos exercitar. Reclamação gera reclamação. E quem vive enfurecido, leva consigo uma nuvem de coisas ruins. Aí é muito azar, muita coisa dando errada, uma confusão. E mais reclamação. Tente parar esse ciclo. Por 21 dias! Para sempre!

Pra mim deu certo. Vai lá, bee, faz a locona e tira esse azedume do seu peito.



















Rugas a menos.

Foto: Dougal Waters

twitter: @tabataaa