quarta-feira, 28 de setembro de 2011

a estrangeira da vez

Vou começar esse post com a cara do Gato de Botas do Shrek pedindo perdão pela ausência macabra do mês passado.


Mas, por maior drama que seja esses olhinhos, eu tive meus motivos. Estou morando na Argentina, cidade de La Plata, até dezembro. Vim por intercâmbio de universidades. E próximo ao dia 28 do mês passado, a vida estava um caos. Não tinha casa, o hostel que eu estava não tinha mais vaga e só me restou ir passar uns dias de favor na casa de uma amiga, sem internet.
Enfim, agora tá tudo lindo, tenho casa e vida :D

E a vida, essa sim, está bem louca. E nesse post vou apresentar um pouco dela para vocês.


Essa é minha cara de alegria ao me deparar com esses 16 bichinhos incrivelmente maravilhosos, pelo gracioso preço de 8 dólares. Com o dólar a R$1,60 , foi como ouvir sininhos de alegria tilintando enquanto eu vomitava arco-íris. Um prazer sem tamanho no freeshop do Uruguay.


Um choque. Não entendo o porque de inventarem um novo nome pros Smurfs. E não é dificuldade de fala. Juro que não entendo. Da mesma maneira que eu não entendo porque raios a Chiquinha do Chaves chama Chiquinha no Brasil, enquanto nos outros países latinos ela chama Chilindrina.


Oi, meu nome é Tábata Romero. Ou melhor, Tábata Alecrim.


Isso é mate. Uma garrafa térmica com água quente, um pote com açúcar e outro com herva. E isso é uma praça. Uma das coisas mais lindas daqui é as pessoas se encontrarem na praça pra tomar mate. E isso é diário! Aos domingos é ainda mais lindo, pois vai a familia toda, levam comida, sentam no chão, jogam bola, empinam pipa... É lindo, mesmo!


Loucademia de Polícia versão argentina. Pelotudo é uma expressão para, aproximando bem, pé-no-saco. Mas é mais forte, pois pelotas = saco escrotal. Então, não é nada suave.


Isso são arepas. Um bolinho assado ou frito de fubá. Se prepara como se prepara o angu, mas depois faz bolotinhas e coloca na frigideira com ou sem óleo. E se recheia com o que quiser! Essa comida é típica da Colômbia e Venezuela, não existe na Argentina. Conheci com três venezuelanas encantadoras que estavam no hostel. Elas disseram que comem no café da manhã, almoço e janta. A todo tempo. Eu entendo, pois é uma delícia, fato.



Bom, tenho muito mais o que postar, mas né. E eu juro que no mês que vem eu compenso com um texto bacanudo! ;)