quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Pensamentos avulsos.

Esse mês resolvi publicar só umas coisinhas que vieram passar pela minha cabeça nos últimos tempos. ;D

  • Eu voltei a ouvir Maroon 5. Também, pudera. O show dos americanos no Rock in Rio foi tudo: empolgante, emocionante, recheado de hits, embebido no carisma e no apelo de Adam Levine, talvez o grande frontman da atualidade. Mas não chega a ser essa a questão. O ponto está no porquê, afinal eu havia parado de ouvir Maroon 5. Más lembranças são capazes de estragar nosso discernimento musical. Mas nada que o tempo não resolva, não é mesmo?
  • Algumas semanas atrás o meu blog pessoal, O Anagrama, teve seu pico de visitas em toda a história de 2 anos que construí com ele. O motivo foi um texto em que eu criticava a atuação de Alex Alves, crítico de um dos maiores sites de música do Brasil, o Popline, e aproveitava para alfinetar a Revista Veja pelo caminho. Alguma alma caridosa enviou para o próprio, no Twitter, meu artigo. E ele, vejam só, o linkou no seu perfil, deixou comentário e a coisa toda. Estranho perceber que às vezes as piores pessoas para criticar o trabalho dos outros são as melhores para receber críticas com, no mínimo, alguma educação.
  • Estou feliz. Não sei explicar o por quê, não mesmo. Só estou. Ontem a noite me dei conta, desligando a música e me preparando para ir dormir, que esses últimos meses da minha vida escolar não podem simplesmente passar como todos os outros passados. Eu tenho só mais um bimestre! Do quê eu vou me lembrar? Para onde eu vou a partir daqui? Não sei se estou pronto para um vestibular (provavelmente não), mas de qualquer forma ano que vem as coisas mudam. Talvez, ou melhor, com certeza esse é o momento de aproveitar o que tenho. E que assim seja.
  • UMA NOTA DE ÚLTIMA HORA: Ontem morreu o fundador e presidente (até poucos meses atrás) da Apple, Steve Jobs. Apesar das piadinhas no Twitter, apesar de muita gente desrespeitando, o legado dele é muito maior do que se imagina. Steve revolucionou a forma como ouvimos música e nos relacionamos com o mundo, além de ser um gênio criativo. Nas palavras do diretor de cinema Kevin Smith no Twitter: “Obrigado por nunca se contentar com o jeito que as coisas eram durante uma vida dedicada a nos mostrar o jeito que as coisas poderiam ser”. Esse post é dedicado a ele. In memoriam: Steven Paul “Steve” Jobs (24 de Fevereiro de 1955 – 05 de Outubro de 2011)

UM BOM OUTUBRO PRA TODO MUNDO.