sábado, 2 de junho de 2012

O top 10 da mesmice popular

Não sou muito de ver televisão. E quando ligo, é para treinar o inglês vendo um pedaço de filme do Telecine. Eu ia falar noticiários, mas parei pra pensar um pouco e me dei conta de que estaria mentindo. Mês passado, numa dessas poucas incursões ao controle remoto, resolvi dar uma chance ao Top 10 (ou seria Top 20?) do TVZ, que apresenta os clipes mais "votados" pelos telespecatadores. Votados está entre aspas porque, na verdade, quem comanda aquilo não é necessariamente os votantes, mas essa discussão fica para um outro post. De todo modo, lá estavam os clipes e as músicas que estão bombando no rádio, nas festas dos pré-adolescentes, nos consultórios dentários, nos iPods coloridos e no aparelho de som turbinado do vizinho. Não digo que as músicas e os clipes sejam ruins, mas parece que existe uma espécie de fórmula de produção para todos esses artistas e acho que é justamente aí que mora o problema.  Não sou tão xiita quanto os metaleiros e adoradores de jazz ou música clássica. Convivo muito bem com Miley Cirus, Madonna, J Lo, Britney Spears, Ke$ha e cia (acho que sei pescar/identificar as melhores músicas e melodias desses artistas e não tenho vergonha disso), mas é muito estranho você assistir 4 ou 5 clipes desses artistas na sequência e ver que quase todos falam de "zoar a noite toda", "pegação sem compromisso", e isso sem contar a estrutura das músicas, a ponte para o refrão, a sonoridade, a tomada das câmeras, os olhares, os closes, as roupas.
Mesmo não sendo um super fã de Adele, fiquei extremamente feliz em ver o seu clipe no meio de tanta falta de criatividade e mesmice. O clipe de "Someone Like You" é em preto e branco. Só isso já seria motivo de aplausos. Mas a coisa não para por aí. Ela não está lançando um sorriso plástico para as câmeras como quem pede mais seguidores no twitter. A letra é verdadeira, tem força e é bem escrita. O clipe não tem homens musculosos sem camisa, tampouco piriguetes se esfregando em alguma pilastra de uma festa milionária. Vemos apenas Adele, andando calmamente, e põe calmamente nisso, à beira do rio Sena. Sim, o clipe deve ter custado muito pouco para ser produzido, mas ainda assim, vale mais que os clipes dos seus colegas das paradas de sucesso.