terça-feira, 12 de março de 2013

Quem precisa de braços se tem as costas quentes?

Li hoje de manhã sobre um acidente que aconteceu ontem a noite.É uma história ou tragédia igual a da semana passada,exatamente como a do mês anterior,como a de todos os dias.Um motorista bêbado atropelou um ciclista na Avenida Paulista,no choque a vítima teve seu braço amputado e o motorista no desespero em se livrar das evidências jogou o braço em um córrego,impossibilitando que a vítima tivesse seu braço implantado.
Infelizmente vai durar uma semana essa indignação,já que se pensamos em um país como se fosse um corpo,o Brasil não tem braços.E sem braços não tem mãos,essas que assinam leis,que escrevem códigos penais e mudam seu futuro.Somos um país de aleijados,sem ter como escrever o nosso próprio destino,analfabetos de pai e mãe,sem noção de leis,de justiça,ficamos parados,horrorizados vendo o mesmo filme,que se repete.
A lei vai proteger o motorista,os pais dele já contrataram um bom advogado e ele parece ter tudo o que a lei exige,é ótima pessoa,excelente estudante de psicologia,boa família,branco,e jamais,jamais,quis machucar alguém,tudo isso junto inocenta qualquer um aqui no Brasil.
O rapaz não vai ficar muito tempo preso,já se desculpou pelo o que fez,não tá bom?Para a lei está ótimo.
Essa tragédia anunciada é o resultado de um país que protege as vontades da elite,acima de tudo,protege esses dementes que saem para beber e querem dirigir,protege os brancos de carros importados e reputações intocáveis,blindados por cartões de crédito e garantia de pertencer a uma burguesia que sempre se destacou no Brasil por egoísta,impertinente e inconseqüente.
Um ciclista ser atropelado por um bêbado não é o começo da tragédia,é o fim dela,que começa bem lá trás,no momento que a indústria de bebidas chega a um país e começa a massacrar mentes já de por si fracas com anúncios,comerciais,tudo leva o jovem a beber.Não tem lei que segure isso,mas quem em sã consciência vai parar uma indústria de bebidas?Esse dinheiro é vital para investidores e políticos,é uma das indústrias mais poderosas do mundo.Para complementar o círculo do horror juntamos a bebida com nossa construção social,a idéia que guia este país desde os tempos de Cabral,rico pode tudo,até beber sem ser punido.Se for branco então a polícia não manda encostar o carro,não vai incomodar uma pessoa de `bem ´ que está apenas se divertindo.
Tudo foi construído para que essas tragédias aconteçam,tudo parece perfeitamente desenhado,as bebidas livres,a falta de leis de trânsito mais rígidas e as leis que se recusam a punir brancos e ricos.
Com uma amiga conversando fiquei pensando se não seria possível cortar o braço do motorista e implantar no rapaz que teve seu braço amputado,já que para o motorista um braço é simplesmente um braço,com certeza ele não vai sentir falta do seu.Minha amiga surtou,logo disse-Precisa falar isso Iara?Você é muito revoltada,que idéia mais besta e violenta!
Mas não é?Eu que sou revoltada mesmo,o problema ( ainda bem) sou eu,graças a Deus,só eu que pensei em uma justiça mais dura,já que o braço não doeu no motorista na hora de jogar,não vai doer na hora de dar o seu para a vítima.
Muito se fala em desarmar as pessoas,tirar todas as armas do país,mas um carro em alta velocidade dirigido por um bêbado não é uma arma?Não!É um meio de transporte da elite,quem vai desafiar a indústria automobilística?Mexer com essas duas indústrias,de carros e bebidas,é meter a mão em um vespeiro e incomodar todos os empresários,como fazer isso se não existem nem mãos para assinar novas leis?
A discussão se abre para o lado errado,ciclistas e motoristas,essa eterna briga de países subdesenvolvidos,esquecidos pela ordem divina.Mas esse não é nosso único  problema,a briga aqui é sobre a falta de ética e de leis,não adianta só resolver a questão dos ciclistas e motoristas,ainda assim seremos um país sem moral,sem ética,sem noção de direitos humanos,nem de respeito ao próximo.É a mentalidade que amputou os braços de todos,é a insistência de uma elite em se proteger,passando por cima dos direitos de um país inteiro.
O Brasil não tem braços,não tem mãos,mas quem precisa de mãos se tem as costas quentes ?Aqui,nesta terra esquecida por Deus só salvam os braços aqueles que tem as costas protegidas,quem não tem conhece de cor e salteado seu futuro,é questão de tempo ser amputado.