segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Novo lema da polícia brasileira:dane-se

Quando meu sobrinho tinha três anos eu tentava explicar tudo pra ele. Uma vez fomos no parque e ele queria subir em um brinquedo, mas tinha que esperar na fila, coisa que ele não gostou e fez birra. Eu tentei explicar pra ele como funcionava uma fila, mas ele não parecia interessado. A mãe dele se irritou comigo e disse: Iara, ele não tem idade ainda pra entender o que você está tentando explicar.
E recentemente fiquei com a impressão que a polícia de São Paulo e do Rio de Janeiro, talvez do Brasil inteiro, está com a mesma sensação que eu tive com meu sobrinho, pra que explicar alguma coisa se ninguém parece ter idade pra entender?

Desde que os tempos são tempos a polícia sabe fazer muitas coisas menos montar uma história. Sempre me surpreende isso, que ainda não consigam seguir uma lógica e montar uma versão que pareça real.
Quando o jornalista Vladimir Herzog morreu durante uma sessão de tortura,em 1975, os militares correram para montar a versão de suicídio. Montaram a cena e chamaram um fotógrafo, mas foram tão toscos que a mesma foto provou a versão contrária, era impossível alguém ter se suicidado naquelas condições, não havia nem a distância necessária entre o chão e os pés para que um suicídio tivesse acontecido.

E não é só no Brasil que isso acontece. A polícia é rápida para matar e sumir no mundo inteiro,mas sempre se enrola na hora de explicar.
Os americanos são os que mais berram, gritam, ficam malucos se alguém tenta entender o que aconteceu, logo eles vão grudando etiquetas de   `terrorista ´ em qualquer um e assim o assunto é encerrado.
Perguntei pra um conhecido que é delegado porque as versões sobre suspeitos e o crime são sempre tão atrapalhadas. Ele me disse que não é assim, o problema é que a imprensa pressiona muito e não deixa a polícia trabalhar em paz, então eles tem que soltar alguma versão rápida pra se livrar da imprensa.
Ah,entendi. Então pessoas somem, desaparecem, morrem e a culpa é da imprensa?
Mas a polícia brasileira já superou essa fase de `ser pressionada pela imprensa ´,agora entraram em outra fase, parecida com a da mãe do meu sobrinho, não querem perder tempo explicando nada porque acreditam que as pessoas não vão entender.

E não é questão de explicar ou não, esse não é o dever da polícia, o trabalho deles é resolver e determinar como as coisas aconteceram, então eles vem e mostram os resultados.
E agora começou uma nova modalidade na polícia, lavar as mãos publicamente, jogam na cara de todos seu novo lema:dane-se.
Nem se enrolam mais, estão com preguiça,protegidos pelo corporativismo e pelo Estado, decidiram que a sociedade não precisa mais de explicações e não vão mais fazer isso. Já não cansam a mente inventando e bolando histórias, agora é só falar o que der na telha.
Um pedreiro Amarildo sumiu no Rio de Janeiro, depois de prestar um depoimento aos policias da UPP da Rocinha.
Desde que ele sumiu muitas pessoas têm protestado, foi tanto o barulho que chegou até a imprensa internacional,que também pressionou. E a polícia do Rio de Janeiro teve uma atitude inédita, deu as costas e mandou todo mundo pastar, dizem que não sabem de nada, ninguém viu nada. Depois de muita pressão jogaram a culpa nos traficantes, mas a denúncia não chegou a lugar nenhum.
Em qualquer outro momento a polícia teria montado uma história, até porque o governador e prefeito do Rio de Janeiro estão suando frio com a repercussão, virou uma questão política, mesmo assim a polícia finge ser surda.

Já em São Paulo uma família inteira de policias militares são mortos, o pai, a mãe, o filho, a avó e a tia. A polícia foi pressionada e acabou montando as pressas uma versão absurda,jogou a culpa no filho do casal. E ponto.
O problema é que atrás desse descaso, dessas versões de `dane-se ´ aparece um panorama mais sinistro do que se pode pensar. A polícia é parte da estrutura de uma sociedade e ninguém está pedindo histórias montadas, mas que eles façam seu trabalho, o que qual recebem para isso. Alguma coisa aconteceu e houve uma ruptura, que de certa maneira sempre existiu,mas agora eles não fazem mais questão de disfarçar, o corpo policial acha que não deve satisfação de nada para ninguém. Não perdem mais tempo inventando nada, agora se limitam a dizer - Dane-se.
Que o sistema colapsou eu sempre soube, desde que eu nasci.Mas ver uma parte desse sistema como a polícia levantar os ombros e mandar todo mundo pastar é inacreditável.

Agora a polícia trata a sociedade inteira como se fossem apenas crianças de três anos que não conseguem digerir uma explicação. Mas atrás desse descaso vem aquela sensação de que a polícia acredita estar acima de tudo e senão quer explicar, não vai explicar nada.
Essa parte é a que me dá medo, uma polícia na rua que acredita estar acima do bem e do mal, não se consideram parte de um mecanismo da sociedade, mas uma célula avulsa, protegida e superior, que têm suas própias regras.

E o Brasil colapsou pelos dois lados, por uma polícia que acredita que todos os cidadãos têm três anos de idade e por toda uma sociedade que se comporta como se tivesse  essa idade,ignorando seus direitos.
A situação é caótica, a polícia se defende dizendo que recebe salários baixos e não tem equipamentos de segurança suficientes. Nunca se sentiram obrigados a prestar um bom serviço afinal o plano de carreira é péssimo e as condições ruins, então para que sair as ruas se arriscando?E agora além de tudo nem explicações querem dar.
Pra quem dizia que não podia ficar pior, ficou. Uma polícia inventando histórias absurdas é uma coisa trágica, mas uma polícia se negando a dizer qualquer coisa é bem pior, porque o silêncio mata mais do que a mentira.