sexta-feira, 14 de novembro de 2014

É claro que o ovo veio primeiro!

(É como cozinhar. Nunca sei bem o que vai sair. Sal de mais ou sal de menos....sempre acontece! Mesmo colocando fermento o bolo não cresce....Adoro inventar e colocar ingredientes a mais. Acho que só sei fazer salada. Salada de qualquer coisa. Molho não. Tá, mas se é como cozinhar, então onde está o forno? Acho que só sei fazer salada mesmo...tudo muito cru. É mais saudável. Mas geralmente não deixo as folhas de molho...Molho não. As folhas tem agrotóxico, os tomates também. Veneno. Talvez seja melhor não cozinhar nada. É, chega de cozinhar esse texto. Lá vai!)



É claro que o ovo veio primeiro!



Ser. Existir.
- Enquanto houver verbo não há revelação.

Ser “assim”.
- Por mais que se faça essa existência é maior do que qualquer ação, do que qualquer verbo.

“Assim”
- “Assim” define muito mais do que ser, existir. O “assim” é isso mesmo, é o que você entende por assim, mas é muito mais o que não é entendível. Toda a explicação é em vão. Não há o que entender, pois não há certo, nem errado aqui.

Chuva
-Sentir que as coisas todas vem como chuva. Mesmo um casamento, mesmo a construção de um navio, mesmo uma dissertação de pós doutorado: chuva!

- O universo empoeirado -
- A poeira das estrelas  –

Esse vazio tão pleno e que se enche tão completamente e rapidamente  quando chamamos por seu  nome:                                                                      
                                                               MISTÉRIO.

---------------------------- Alguém olha no fundo dos seus olhos e por algum tempo você não pensa em nada. Você diria que por um tempo muito breve--------------------------------------------------------------------


Algo ancestral, que não reivindica trono. Tão ancestral como os sonhos.


-------------------------------Um bichinho pequeno e silencioso escreve em uma folha verde somostodosbons comosomostodosbonscomosomostodosbonscomosomos------------------------------------


Encontra-se. Desperta-se. Acorda-se. Somos “ASSIM”.

Eu sou “Assim”: Água que escorre pelas formas arredondadas de uma caverna. Água do céu cavando embaixo da terra. Água que alaga, encharca e transborda rios. Água no bico do passarinho.


Algo ancestral, que não reivindica trono. Tão ancestral como os sonhos.