sexta-feira, 8 de maio de 2015

Bolo

 O pai de uma colega minha tinha cirrose.

  Ele não viveria mais de uma ano embora ainda tivesse uma qualidade de vida relativamente boa, e um dia a dia relativamente normal.

  Um dos sintomas tinha a ver com a alimentação,que era muito restrita, doces por exemplo nem pensar, sobrecarregavam seu organismo e um pedaço de chocolate podiam fazê-lo dormir por dias, inclusive fora assim que descobriram que sua doença.

  Claro que não poder comer porcarias não diminuia sua vontade, muito pelo contrário.

  Acontece que esta minha colega, tinha tido duas meninas gêmeas ano passado, eram as duas primeiras e últimas netas do tal senhor que as adorava.

  Sabendo que o primeiro aniversário delas seria o único com a participação do avô, ela fez uma festa em casa com a família com direito a bolo de festa.

  Com a casa cheia, o velho encontrou espaço para comer escondido um grande pedaço de bolo, e foi embora bem para a casa com a esposa.

  No dia seguinte claro, dormiu profundamente, o dia inteiro, e o dia seguinte, e o outro.

  No terceiro dia a esposa acordou e o marido não estava na cama, procurou na casa toda e não encontrou, preocupadíssima ligou para o a filha, contando que o pai doente havia sumido.

  A filha no telefone, preocupada já ia sair as ruas procurando o pai quando ouviu a campainha tocar, pediu a mãe que esperasse no telefone. 

Na porta estava seu pai, que achando ter dormido só uma noite, foi cedo na casa da filha e a primeira coisa que perguntou logo depois do bom dia, é se havia sobrado um pedaço de bolo.