segunda-feira, 13 de junho de 2016

O dia para celebrar o amor nasceu cinza.
O sol apareceu tímido.
A segunda amanheceu sem cor.
Há os que preferem o escuro do luto ao colorido de celebração.
Há corações sangrando e mãos sujas de sangue.
Ninguém ganha, ninguém vence.
Faltam palavras e o silêncio preenche o vazio;
Repitamos como mantra: 
Mais amor, menos ódio.
Mais AMAR