terça-feira, 29 de junho de 2010

DERRAMO-ME EM VERSOS por Felipe Augusto

A vida nos põe em divida constantemente.
Devemos mais cuidados a nossa saúde, tarefas á faculdade, e tempo aos nossos amores...

...crio pra ver se desfaço o que já não é fácil de suportar...
Sou poeta de exclusão literária e não sei a grafia correta das minhas próprias palavras.

...Mas elas me servem de acalanto, e as vezes, quando jogadas num canto, me servem também de saudade...São minhas verdades,meus amores, meu horrores e medos, pintados em belas paisagens. esboços de verdades que criei.
Compartilho, quase sempre, somente o que gosto...sorrisos , abraços e tudo o que posso..., mas o meu verdadeiro gozo e plenitude, é o silencio de um momento eterno de criação, que as vezes dura somente um segundo, mais é tão profundo, que afastam-se todos, os medos, as crises, o mundo, desfaço-me de tudo, me faço mudo, despido de todo resto que não interessa, de corpo e alma nu... agora, sou só eu o verso e o reverso do que sou , juntos forjamos a fantasia que compõe a felicidade das almas sensíveis, disfarçamos meus deslizes e fingimos, por um segundo, a sonhada liberdade, onde cada palavra é uma parte deste sonho desesperançado, " sou livre"... (livre?)

È! LIVRE!! (tudo que sinto de mais sincero é um grande anseio de liberdade, mas que na verdade não sei o que a liberdade é) assim como os versos que criei, e que não se bastam em ser meus,...

... os versos são livres como meus sonhos, mas precisam sempre de olhos atentos pra interpretá-los, e hoje uma vez mais, assim que os leiam, lhes faremos eternos, como parte desta eternidade humana, ilusória... E assim serão até que haja quem os leia, quem os possa revivê-los, assim como eu. Assim como você...


... é só isto de tudo o que faço que quero realmente fazer..

quando já não posso suportar o peso de tanto amar, derramo-me em versos.

quando a luta é maior que o sonho que me serve de prêmio, derramo-me em versos,

quando só há em mim o silêncio profundo de um imenso mistério, derramo-me em versos,
quando enfim já não cabe em mim o EU que realmente sou, transbordo, me faço feliz, e derramo-me em versos de universos sem fim...

( Felipe Augusto )

Aê pessoas negócio é o seguinte: rolou o aniversário do blog e não sei se lembraram, esqueceram, enfim, eu não esqueci. E como é meu dia de postar, como sempre um pouco atrasilda, presenteio com versos do miguxo aí. O Felipe é o miguxo mais novo de uma sala de quase trinta e poucos alunos, é jovem muito jovem, apenas 21 aninhos, aspirante a escritor, aluno aplicadíssimo, o xodó dos professores e nós alunos/amigos e poeta desde o ventre. Pedi algo especial, disse que queria presentear o blog com alguém como ele bacana, simples, mas de uma sensibilidade tamanha. E ele não mediu esforços,pediu o link , olhou o perfil e grato pela escolha, fez especialmente para nós. Tem um blog Spaziomomento, depois comento e deixo o link, menciona que é um sonho compartilhar o que escreve. Então taí, espero que gostem, é minha forma de agradecer, ao Lucas o convite surpresa de 2009 e aos 29 integrantes deste blog doido, culto e bacana o convívio virtual de um ano.
Aê feliz aniversáriooOO blog das 30 pessoas! :))
- Beijos da loira.(risos)