terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

vamos brincar de os sonhadores?


vamos brincar de os sonhadores? vamos fingir crises e recitar poemas no quarto embaçado pela fumaça fétida do seu cigarro barato? vamos chorar a dor do outro e sarar feridas imaginárias na alma alheia? vamos inalar gás lacrimogêneo, gás carbônico, hélio, pimenta. do reino. do rei nu. vamos deitar na praia e nos acorrentar em portões de ferro com nós falsos. olhar a lua e dizer coisas bregas e fúteis. olhar o sol e queimar a pele desprotegida contra os r.a.i.o.s que nos partem. rir dos outros, rir de nós, rir do ridículo que é essa vida pueril AceleradA em nossos corações inquietos que nos fazem suar frio pela cabeça. vamos não fazer nada e acampar na sala. vamos escrever poesias de paixão na parede com giz de cera. ouvir música triste e dançar, dançar, dançar. vamos olhar nos olhos e nos permitir a felicidade doce de um espírito tranquilo. vamos nos jogar mais e ser amigos dos desconhecidos que andam descamisados em parques inexplorados. vamos fotografar momentos (in)apagáveis numa memória sem critérios. vamos deixar a porta aberta e a janela também. vamos viajar viagens e amar. amar. na dar. ah mar. agora vai e me dá um abraço. já é tarde e o sussurro dos injustos me chama como a brisa morna que neste instante devora meu pescoço cansado. eu vou dormir a fome e matar o sono que já não há. vou me fingir adulto e mentir idade. andar descalço e falar sozinho. vou deflorar e sentir muito. eu sinto MUITO, mas eu vou brincar de os sonhadores.

e

você,

vem?

.