quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Lc 10:25-37

Esses dias me lembrei de meu primeiro emprego.

Era balconista, operador de caixa, lavador de banheiro e substituto da gerente em uma das unidades da rede Drogasil. Lá, de jaleco branco com gola vermelha e listras pretas, eu aprendi de tudo, até mesmo atender ao telefone com classe: "Drogasil Bonfiglioli, com descontos de 10 até 55% em todos os medicamentos tarjados, Felipe, boa tarde!"

Mas não quero vir aqui me gabar por ter usado a maior saudação telefônica de todos os tempos. Me lembrei de meu primeiro emprego porque lembrei de uma cena um tanto curiosa que presenciei por lá. Estávamos para fechar a loja, devia ser umas dez e meia da noite e estava  muito frio. Fazia um inverno com I maiúsculo em São Paulo naquele ano de 2005 e, a exemplo de outros estabelecimentos nesta época do ano, mantínhamos uma caixa da "Campanha do Agasalho" na porta da loja. A caixa já estava quase cheia e mais dia, menos dia, um caminhão passaria para recolher os agasalhos para doação.

Estava eu todo agasalhado, com o jaleco por cima da blusa, só contando os minutos para abaixar a pesada porta da loja, até que eles apareceram. Na distração em que estava não vi bem de onde vieram e nem quando entraram, mas reparei bem como se vestiam: estavam de camiseta regata, bermuda rasgada e chinelo Havaianas, olhavam para a caixa com os agasalhos. A gerente da loja, que naquele dia fazia plantão, logo se aproximou "O que vocês querem aqui?". O menino mais novo fez menção de partir, puxando o mais velho pelo braço. O menino mais velho, ainda que timidamente, tomou coragem para falar com minha gerente: "Será que a gente pode pegar uma blusa da caixa?". Minha gerente, muito bem agasalhada, prontamente lhes respondeu: "Não, essa caixa é para a "Campanha do Agasalho", para ajudar as pessoas que sentem frio"...

Os meninos não questionaram a resposta daquela senhora tão bem apessoada e tão distintamente agasalhada e  se foram... abraçados um ao outro para tentar esquentar aquela noite que acabara de se revelar ainda mais fria...