segunda-feira, 2 de abril de 2012

Motorista iniciante, perigo constante.


Tirei a carteira de motorista sem saber dirigir. Essa é a mais pura verdade. É triste, mas é verdade. Hoje me considero um motorista muito bom, mas o meu primeiro ano habilitado foi um desastre completo. Quase bati feio várias vezes, dei fechadas homéricas e avancei cruzamentos sem saber que eu deveria esperar o momento certo. Era comum ouvir dos meus amigos coisas como "se você quer adrenalina, vai de carona com ele". Tinha um grande dificuldade em usar os espelhos, sobretudo os laterais. "Vê aí se eu posso mudar de faixa", dizia com certa frequência. Mas o meu ponto alto como motorista 'noob' foi às oito da manhã de uma segunda-feira. Para sair da garagem da casa do meu pai, só podia ser de ré e eu odeio ré. Até hoje. Faço de tudo para evitar engatar esta marcha maldita. Se para isso eu tiver que manobrar o carro por cinco minutos num espaço minúsculo, eu malho o braço, mas não engato a ré.

De repente ouço um grito. Pouco depois, um novo grito ainda mais forte que o anterior e mais demorado. Então aparece o porteiro desesperado, gesticulando para eu puxar o freio de mão. Fiz o que ele me pediu, virei a cabeça e vi uma kombi estacionada muito próxima. Quando eu saí do carro eu fui entender que eu estava esmagando a perna de um cara sentado no carona da kombi. A porta estava aberta e ele estava com a perna pra fora. A medida que fui dando ré, a porta foi prensando na sua perna. Inacreditável, mas é a mais pura verdade. Tentei conversar com o cara, pedir desculpas, mas ele falava um palavrão atrás do outro. Pedi para o porteiro conversar com ele por mim e saber se era preciso levar o homem ao hospital. Apesar do susto, estava tudo bem, ou pelo menos o cara disse que estava tudo bem e que o hospital não seria necessário.

Esse episódio traumático pelo menos foi crucial para eu me tornar um motorista responsável e atento no trânsito. Os mais perigosos no trânsito são os iniciantes, os que se acham pilotos de Fórmula 1/costureiros profissionais e os idosos (maiores de 60 anos). Depois ainda dizem que as mulheres não sabem dirigir. Pura balela machista.