terça-feira, 19 de junho de 2012

Até eu me encontrar

Detesto quando o dia 19 chega de surpresa, sem eu ter percebido sua aproximação e eu sou levado a ter que escrever aqui assim, de supetão, sem ter pensado em algo especial pra dizer. Aí hoje decidi escrever sobre essa minha mania de, de tanto pensar demais no jeito que eu queria que as coisas fossem, acabo esperando sempre o inusitado acontecer de forma que me surpreenda. Mas é claro que, por isso, eu já penso no jeito como gostaria de ser surpreendido e fico esperando essa surpresa esperada acontecer do jeito que eu achei que ela deveria acontecer pra ser mais interessante do que é. E nunca acontece, porque eu acabo esperando demais.
Daí que eu acabo esperando a vida me surpreender de tantas formas, cada uma mais surpreendente que as outras, que tudo que acontece acaba sendo muito morno perto de tudo que poderia ter sido.
Então, pra não gerar pretensões de que esse texto vai ser melhor do que eu esperava que ele fosse se tornar ao longo da narrativa, eu finalizo por aqui acabando, assim, com expectativas frustadas.
Portanto, até o próximo dia 19, quando eu espero voltar com o pé mais no chão, e o coração mais perdido. Bem mais perdido.