quarta-feira, 18 de julho de 2012

A visita (parte 16)

Sudoreico, taquicárdico e confuso, dei dois passos pra trás espalmando a mão que confirmava o vazio, as palavras da gorda e a não existência de Carmem. 
- Take easy meu garoto! Disse a cigana sorridente. 
Jorge Ben, Paul, Chico Science, São Paulo, pudim, Uruguai, Carmem que vem, Carmem que vai, 7 de paus, porra, nem chamando o síndico...
- Nesses tempos de descrença, quem me cumprimenta já leva um tiquinho do amanhã, oxalá quem suplica por dois sendo um! Senta.
Sentei. Porque não obedeceria? Me dê motivo!, sádico síndico.
- Já jogou cartas?
- Só truco.
- Ah tá...
Após embaralhar o carteado, o deixou na calçada e puxou pra si a primeira do topo, seus olhos me fitaram com horror por cima da carta encoberta por sua mão esquerda, e antes que eu perguntasse a soltou, a peçonhenta carta, um 7 com uma cobra escrota.
- Deixa eu te dizer, a serpente é uma carta alerta. Indica fraude, trapaça, mentira e ameaças. Como anda tua vida garoto?
Pensei em desabafar tudo num vómito único, mas mudei de ideia ao imaginar o que seria de mim depois de desandar a narrar essa história desconexa num choro gesticulante, a gorda ia me internar, era muita coisa, até pra uma cigana. Então resumi. 
- Um pouco tumultuada. Senhora, tenho visto/sonhado(?) muito o 7 de paus, tem ligação com a asquerosa aí?
- Eita pau!
- Eita o quê???
- Tu tá de ida pra onde garoto?
- Uruguai. E o 7? E esse eita pau? E os paus do 7? Pelo amor de Deus minha senhora!!!
- Calma garoto, calma. O 7 de paus revela desafios, a chance de no meio da crise você externar o melhor de você. Vai pro Uruguai.
- Vou?
- Vai. A mala já tá feita não tá? Igual esse balaio sem retorno. Busca tuas respostas, certas coisas a gente não sabe dizer, só sente, elas chegam em nós. Assim, a vida é mesmo assim.
Consenti com a cabeça colocando as alças da mochila nas costas. Cheio de medo e desejo. Medo do Lulu, de revisitar as ruazinhas esverdejantes de Colônia, rememorar aquela primavera feliz, o beijo da Ramona, o gole na Patrícia. 
Fui, vulnerável irracional sem nenhum senso e apenas uma direção: Santíssimo Sancramento.