quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Pimenta Malagueta

Oi, moçada!


Aquele folgado do meu neto acabou de me ligar desesperado do estrangeiro. Me pediu para escrever no lugar dele de novo já que ele está viajando e não tem máquina de escrever lá onde ele está... aiai... depois eu que sou a atrapalhada! Quem mandou ele não deixar tudo pronto antes de viajar? 

Mas fazer o que, né? Avó troca fralda, compra doce, esconde as traquinagem dos pais e agora tem que fazer os dever dos neto também... aiai... que gozado... sorte dele ser um menino bom! 

A vida é assim mesmo... os neto vão viajar pra esses país esquisito com nome de bicho e a gente fica aqui preocupada. Imagine só! Viajar pra um país com nome de bicho e que ainda por cima fica fora do Brasil! Se fosse um país decente pra gente morar não teria nome de bicho! E pensar que um dia desses uma louca que nem o meu filho morreu bem mortinha andando de mula nesse país selvagem... caiu numa ribanceira a coitada... até a mula morreu! Ainda bem que meu neto não é assim... ele jamais andaria de mula numa ribanceira... ou será que andaria? Ai, meu Jesus...



E ainda por cima, pra vovó aqui ficar mais preocupada ainda, minha amiga do 43 me disse que esse país é muito antigo, tão antigo que tem aquelas doença de véio, aquele tal de Mal de Parque. Diz ela que de vez em quando o chão começa a tremer tanto que ninguém segura! É uma tremedera só... lembrei até de meu falecido véio quando tava atacado do Mar de Parque... ai, ai, que gozado! Tem que ser muito biruta para querer ir pra um lugar desses... tinha que ser justo meu neto!? Falta alguma coisa pra ele aqui? Não falta nada... Pra quê querer ir tão longe assim? Pra um país que fica fora do Brasil... aiai, meu Jesus!

Ser avó é padecer num paraíso, já dizia minha avó! Os antigo é quem tinham razão! Ainda bem que duas semanas passam rapidinho e logo ele ta de volta contando as novidade daquele país esquisito. Que novidade posso esperar de um país tão atrasado que estão duas horas atrás da gente... ai, meu Deus. Mas fazer o quê, né? O jeito é continuar aqui com a minha máquina de escrever e deixar a juventude tomar o rumo dela. No fundo eu acredito que eles sabem o que tão fazendo...

Agora, meus brotinhos, vou voltar pra minha novela. Tô me ardendo de curiosidade pra saber quem matou a Ramona... ai, ai... que gozado!

Um beijo de Dona Noélia Lários

PS.: Como eu ainda não entendi direito essa história de colocar título, meu neto disse que era pra eu colocar uma coisa bem picante, assim todo mundo ia querer me ler. Bom, eu não conheço coisa mais picante do que pimenta malagueta. Será que ele vai gostar?