quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Do começo

Dezembro ficou famoso pelo Natal. Mais do que pela virada do ano, o Natal. Maio é o mês das noivas. Agosto é o mês do cachorro louco, seja lá qual for o motivo. E em novembro é o meu aniversário, mas outubro é o mês das crianças. Reza a lenda que isso foi ideia das lojas ou marcas de brinquedos aqui do Brasil. Se bem que o dia 12 de outubro - dia das crianças - também é dia de Nossa Senhora Aparecida. E, bom, ela teve um filho famoso, não teve?

(Vi agora que 12 de outubro também é a data do descobrimento da América. De 1492. Mas vou ser muito honesto: não lembrava disso. Sério.)

Mas enfim. Outubro é o mês das crianças. E eu imagino que vocês já devam ter percebido que nós aqui do Blog das 30 Pessoas estamos fazendo posts temáticos. Então vou contar pouco sobre mim mesmo, naquela tenra idade. 

Eu felizmente escapei d'A Conversa que os pais têm com os filhos. Aquela. Eu infelizmente fui vítima da minha curiosidade. Desde muito novo eu gostava de ler. Pode ter a ver com a razão de sempre ter tido livros ao meu redor. (Meus pais me deram um O Pequeno Príncipe quando eu tinha cerca de oito anos. Claro que "deram" pode ser um exagero. Estava mais para "deixaram perto de mim tempo suficiente para eu desenhar vários He-man nele". Mas estou divagando.) Acho que já tinha nove anos quando encontrei um livro largado na sala de casa. Lembro bem que era uma manhã de sábado porque todos ainda estavam dormindo. E havia um livro. Óbvio que eu não sabia daquilo à primeira vista, mas era um livro de sexologia. Mais óbvio ainda foi que eu abri o livro. E o que li...bom, me atormentou como nada tinha conseguido até então. Aquilo trouxe respostas para perguntas que eu não tinha pensado em fazer ainda, mas que foram surgindo ao longo da leitura. Vamos apenas dizer que não olhei pro rosto de ninguém durante o café da manhã. Minha mãe ficou achando que eu estava doente, porque não estava comendo direito. Tinha ficado sabendo de umas coisas bem indigestas bem pouco tempo antes. E estava tendo dificuldade em digerir tudo aquilo.