quarta-feira, 19 de junho de 2013

O avesso do que era antes

Acordei com gosto de café na boca. Achei estranho, já que eu não gosto de café. Aí me lembrei que o gosto tinha vindo de outra boca. Quase me esqueço. Me levantei pra escovar os dentes e a janela do banheiro estava fechada. Janela de banheiro nunca deve ficar fechada. Banheiro é um lugar úmido, precisa de circulação de ar. Abri a janela, mas por conta disso minha toalha não estava seca e tive que pegar outra limpa pra tomar banho. Na cozinha todos os copos sujos de cerveja da noite anterior... e uma caneca, usada pra tomar água. Como eu odeio que peguem minhas canecas pra tomar água. Qual a dificuldade de se lavar um copo?
Por fim apaguei a luz da sala, que provavelmente ficara ligada desde a noite anterior e fui trabalhar com o mal humor de quem amanhece com todos os seus costumes revirados. A ansiedade por não saber se o telefone vai ou não tocar só passa com as lembranças da noite que, no fim, fez tudo valer a pena. O que vai acontecer, eu não sei... mas que importância isso tem se ele já mudou tudo de qualquer forma?