domingo, 12 de janeiro de 2014

Sem explicação

Dias desses tomei uma decisão e comentei com uma pessoa, que logo me pediu uma explicação sobre isso. Pela primeira vez, talvez desde que tenho cinco anos, não soube o que dizer, não soube o que explicar, simplesmente porque estou começando a aceitar que nem tudo na vida tem explicação e nem todas minhas atitudes eu posso entender ou visualizar o futuro ou consequências delas.

É simples, tomei a decisão e ponto. E por que fiz isso? Não tenho a menor ideia, acordei e pensei, tal situação não tem mais a  ver comigo, adoraria explicar o porquê, até porque isso me faria bem, poderia ser um consolo para a alma, mas não sei o que me levou a essa decisão.

Nunca na minha vida fiz uma coisa dessas, de sair sem entender meus motivos ou carregar correntes depois. Aconteceu alguma coisa no mundo e apenas segui a minha vontade, perdi a pilha, o amor, não quis mais saber daquela situação.
E me dizem que tem gente que vai sofrer com a minha decisão. Ora, eu já sofri com decisões alheias que me envolviam e ninguém se importou e mesmo com a dor eu sai viva, o que me garante que ninguém vai morrer com a minha decisão.

A vida deve ser assim, não sei, estou aprendendo, chegamos a um ponto que podemos aceitar sair de situações  mesmo que não tenha uma explicação ou motivo lógico para isso. Pessoas mudam, tudo muda e explicações sempre sobram.
Para mim é a primeira vez que saio de uma coisa sem olhar para trás nem sofrer e não tenho a remota ideia de porque estou fazendo o que estou fazendo.
Acordei com uma sensação simples e direta, tal coisa não me faz mais feliz, então vou dar um giro nisso e pronto. Acabou, sem conversas longas nem choro.

E logo alguém me disse- Você vai se arrepender de ser tão impulsiva!

Eu me pergunto, será mesmo? Alguém se arrepende de não continuar mais em uma situação que não funciona?

Mas era amor! Era e dos profundos, mas acabou e não foi pela minha vontade, alguma coisa mudou na madrugada e chegou ao fim. Não foi minha decisão, semanas atrás eu estava jurando amor eterno e garantindo que era meu único motivo para respirar, mas o ar mudou e não preciso mais disso para sentir meus pulmões cheios.

Mesmo que eu tente, não tenho explicações, acordei assim. E já se passaram dias e noites depois dessa decisão e não me arrependo, lembro com saudades de vez em quando, mas o sentimento que mais chega ao meu coração é de alívio.

Demorei para entender, mas a vida é feita de decisões que terminam e começam cada segundo e nem todas dependem da nossa vontade, às vezes elas apenas acontecem. Aconteceu no meu caso e a vida segue. Nem caminhei muito ainda, mas posso olhar pra trás e ainda ter orgulho do que vivi, conheci e construí com esse amor. Mas amores são assim, a gente pensa que é para sempre, mas estão aqui apenas para libertar. E liberdade não precisa de explicação, ela precisa de asas.