terça-feira, 9 de setembro de 2014

Sobre a lua



Sugestão: Ler ouvindo "Lua, lua, lua, lua", na voz de Gal Costa



O satélite natural da Terra, aquela que influencia as marés e os cortes de cabelo, que inspira os poetas, a protetora dos amantes, morada de São Jorge e seu dragão, testemunha das mais lindas promessas de amor, que quase nunca se cumprirão.
Da astronomia à astrologia, da força das marés às mudanças de humor, da corrida espacial ao eclipse, a lua está sempre presente em nossas vidas.  
Ela povoa o imaginário popular e me afeta de uma forma tão grande, que sempre que vejo a lua cheia sinto um aconchego no peito difícil de explicar, uma sensação boa, que conforta, dá esperança, e antes que eu perceba, um sorriso já brota em meus lábios...
A noite passada ela me acompanhava enquanto eu caminhava de volta para casa, me observava enquanto eu a admirava, tão grande, tão branca, tão iluminada que eu só desejava parar qualquer desconhecido que cruzasse meu caminho apenas para dizer "você viu como a lua está linda hoje?". Mas, apesar da noite quente, o clima de São Paulo não é muito convidativo para qualquer interação despropositada do tipo. Tive receio de ouvir algo desagradável em troca, ou de receber um olhar recriminador, ou de desprezo, então permaneci em uma admiração solitária, lamentando pelos que não puderam desfrutar de tão bela companhia.



P.S: Lembro-me da última lua cheia que teve, estava na casa da minha mãe e fui para o quintal com ela e minha irmã para admirá-la e, de tão linda que estava, começamos a cantar para ela, cada qual, uma música diferente (ou mais, afinal, música com lua é o que não falta)... "tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua...", "tá vendo aquela lua que brilha lá no céu?", "tomo um banho de lua..", "o verme passeia na lua cheia..."; "a lua que brilha no céu sela o nosso amor"; "lua de São Jorge brilha nos altares..."; "ó lua de cosmos no céu estampada..."; "lua vai iluminar os pensamentos dela..." e por aí vai...