segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Geração X

Tenho muitos amigos de 30 e poucos anos que jogaram tudo para cima (emprego, carro, namorado/a, família) e foram para a Austrália, EUA, Canadá... e não pretendem voltar.
Seja qual for a desculpa (trabalhar, aprender inglês, ano sabático), todos eles estavam de saco cheio.
De saco cheio de viver do trabalho para a casa e da casa para o trabalho.
De se matar para conseguir comprar um carro e depois se matar mais ainda para mantê-lo.
Eles perceberam que o apartamento, o carro, as roupas bacanas, a academia badalada, a tecnologia de última geração, os jantares caros, etc os prendem num emprego medíocre.
Perceberam que nunca poderão fazer ou descobrir o que realmente gostam e querem.

Mas eles também perceberam que talvez seja possível adiantar a aposentadoria.
Ser feliz hoje. Com o que já conquistou. Não perder mais tempo querendo mais.
Valorizar o que realmente importa.
Que o que te faz nobre não é o carro ou o apartamento que você ostenta.
Que sucesso é o brilho que você tem nos olhos.
É a felicidade que você irradia quando consegue se libertar e ir atrás do seus sonhos.