quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Maturidade frágil

Ele pediu um hambúrguer com bacon e muito cheddar. Ela, um milkshake de pistache. Ele enxergava um lado muito maduro nela apesar da pouca idade, mas também a considerava tão imatura às vezes... era difícil dizer qual dos dois o atraía mais.
Ele a achava prepotente de início, parecia que não relaxava nunca na tentativa de estar sempre um passo à frente. Sempre argumentava demais e expunha exemplos e fatos... mas sua argumentação era tão frágil em tantas situações.
Ela: O que você perguntaria a Deus, se pudesse fazer uma pergunta diretamente pra Ele?
Ele: Não sei... pra quê eu pensaria em algo assim?
Ela: Nossa, você não é nenhum pouco curioso. Você poderia perguntar qualquer coisa... imagina!
Ele: Não tem nada que eu gostaria de saber nesse nível.
Ela: Eu perguntaria porque Ele existe.
Ele: Porque diabos você perguntaria algo assim?
Ela: Porque ia ser incrível. Eu acabaria com Ele.
...
E ele percebeu ali que preferia quando ela era mais madura mesmo.