domingo, 16 de agosto de 2015

[.]

A todo imigrante
A todo sujeito periférico
massacrado pelo cidadão de bem




ah, o amor...

que seja sempre essa aliança
de reverberações entre os nossos

- que não são meus ou seus -

que a igualdade seja a busca:
somos-todos-humanos
diante da prece

- mas nem tu, nem eu -

boa ação diária,
beijo no abandono,
choro sobre às chagas,

na tevê:
 o lar-doce-lar é entregue
no vigor de plateia & palmas
- aqui embaixo: quedê as chaves? -

no folder ninguém vê 
o dúbio encanto
do povo acolhedor:

a empunhadura,
o desguiar,
a serenata
do projétil
por-entre-a-carne