domingo, 18 de setembro de 2016

A Minha Camisa 10

Dia de aniversário do clube de coração, do meu clube há 36 anos e do dela também, desde quando já a percebia tentando estar do meu lado na sala, acompanhando aquele time que normalmente veste verde, mas naquela noite vestia azul e foi difícil explicar o porque. Dia especial, saí para comprar o primeiro ingresso da pequena, missão difícil com a nova realidade dos torcedores sócios nas modernas arenas, mesmo o jogo sendo na semana seguinte. Mas pro torcedor “comum”, ingressos só daqui alguns dias.
Frustrado? Não. Estava eu na rua do nosso estádio, que hoje leva o nome de fundação do nosso clube de coração, no aniversário dele. Aquele dia seria especial ainda...
Lembrei dela entrando algumas vezes em lojas nos shoppings, com seus 5 anos, querendo ver se tinha algum vestido verde do seu time, mas com todas as tentativas em vão. Quando lembrei disso, entrei na maior loja da rua e perguntei se tinham este vestido, a moça disse que para essa idade não tinha mais, que minha menina já estava grande e merecendo uma camisa. Sabe, a moça da loja tinha razão! Me veio à mente a camisa que meu pai mandou fazer para mim nos meus primeiros anos de vida, com meu nome e o número 10 as costas e que tenho guardada como histórica até hoje.
- Moça, vê aquela verde, mas pode por o nome dela e o número 10 as costas?
- Claro, ela respondeu.
Saí da loja ainda sem o ingresso para o primeiro jogo dela, mas tendo em mãos a camisa 10 que iria manter uma tradição de pai pra filho(a).
Andei pela “nossa” rua olhando tudo em volta, muitos preparando as festividades do aniversário do clube que iriam acontecer logo mais à noite, lembrando das vezes que vim com meu pai aos jogos, dos pré jogos com os amigos já adulto, das inúmeras histórias de quando eu ainda nem era nascido, mas que soube pelo meu pai. Lembrei também que neste aniversário do clube, no dia que comprei essa eterna camisa 10 para minha filha, fazia também 1 ano em que a vida me tentou derrubar mas que me fez “cair pra cima”. Sentimentos que me fizeram sentir como se eu estivesse comemorando mais um campeonato naquela rua. Hoje estamos morando perto da nossa “casa”, então pude voltar rapidamente para o lar, pois logo ela chegaria da escola e eu tinha em mãos um presente especial para ela e pra mim também.
Não é só futebol! Nossas vidas possuem grandes e pequenas vitórias e derrotas, mas principalmente, também fazemos histórias. Hoje eu sou um campeão da felicidade pelas coisas simples.
“O Futebol é a coisa mais importante entre as menos importantes.” (Arrigo Sacchi)