quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Sobre algumas coisas e "Homens, mulheres e filhos"!

Quase três horas da manhã, resolvo entrar aqui no blog pra escrever meu texto, e eis que havia um que redigi em setembro e sei lá por quê programei pra hoje!

Falo de saudade nesse texto. Resolvi jogá-lo mais pra frente. Quem sabe um dia o use!

Mas decididamente, hoje não é dia dele!

Olá, pessoas!
Como foram de final de ano?
A virada e tudo o mais?

Comigo também tudo suave, obrigado por perguntar.
À medida que ficamos mais velhos, essas reuniões de FDA vão perdendo a magia.
Mas o que manda é que estamos aqui, iniciando mais um ano.

Queria ter falado pra vocês, no ano passado ainda, da rádio online que criei, a Rádio Blog Cast (e se não me engano, falei, não falei?). Mas devido à preguiça correria, parei de fazer.

O carro que era pra ter vindo no ano passado, também miou. Nunca fui de fazer projetos para o ano. O único que fiz, não vingou. Sempre fui adepto do "deixa acontecer naturalmente". Aaaah, amigos... Mas em 2015, ele há de vir! Bem como o trampo novo, com o qual conciliarei o de hoje.

Falado isso, quero comentar sobre um filme que baixei hoje via torrent (preferia alugar na operadora que assino e que me custa os olhos da cara, mas fui informado pela mesma que esses "on demand" ainda não estão disponíveis para a minha praça, sendo assim, f***-se).

Tava meio entediado, e resolvi acessar um site de filmes de minha confiança, pra ver se o mantenedor havia publicado algo de novo, interessante.

Daí, amiguinhos, esse trailer me saltou aos olhos:


Trata-se de "Homens, mulheres e filhos", mais uma daquelas obras escritas e que depois alguém tem a ideia de passar para a tela grande.

Sei não, mas acho que o livro rende mais que o filme.
O trailer vende muito bem o longa. Longa mesmo! Duas horas de muito assunto "educativo" até, podemos dizer assim, mas narrado e contado de uma maneira um tanto quanto devagar demais.

Nomes de peso como Adam Sandler, Jennifer Garner e até o carinha do "A culpa é das estrelas", Ansel Elgort, estão nele. Mas olha... 

Fala sobre relacionamentos humanos nessa era maluca de internet.
Os riscos, os perigos, os "descaminhos" que acabam acontecendo...

É bem legal a ideia. Mas confesso que o trailer criou uma expectativa beeeem grande em mim, e o resultado final, pelo menos para mim, não foi lá grande coisa. Nota 6/10.

Terminando o primeiro post do ano, quero parabenizá-lo por chegar até aqui!
É sabido que as pessoas fogem de textos grandes. Olham e pensam "capaz mesmo que vou ler uma coisa tão grande assim"!

Depois de um trailer maravilhoso (mais belo que o próprio filme), a galera do Linkin Park canta pra gente sobre a história de uma menina que não se encaixava bem nesses padrões de sociedade. Pelo menos é o quê sinto no clipe! Numb!


Excelente 2015 pra gente!
Nos falamos em fevereiro!